Devo pedir aumento em tempos de crise?

14/12/2016 11:56:14

Tudo é uma questão de tato, do profissional entender o ambiente em que ele está inserido e também saber um pouquinho da situação que a empresa está enfrentando ...

Pedir aumento de salário sempre foi um ponto delicado, tanto para quem pede quanto para os chefes que recebem este pedido.  E se os tempos são de crise, essa solicitação precisa ser feita com critérios, pois assim como você,  a empresa pode estar passando com dificuldades financeiras.

“Tudo depende da postura do profissional entender como está o momento do seu local de trabalho. Lógico que a gente, além de ajudar as empresas, também tem que focar nos nossos interesses pessoais, porém tudo é uma questão de medida.” explica Thaisa.

Fatores que impactam na hora de pedir um aumento:

– A postura e o relacionamento que o profissional tem com o seu chefe;

– A situação financeira da empresa ;

– A situação em que este profissional está vivendo.

Thaisa reforça que se o profissional estiver em uma situação muito extrema, é válido tentar fazer um acordo diferente ou um pagamento de algum bônus. Se for uma situação pontual, o ideal é tentar a antecipação de um décimo terceiro, por exemplo:

“Não existe uma regra, é muito particular e de momento da empresa. Por mais que tenha crise e as pessoas estejam precisando de um aumento, todo ano obrigatoriamente tem um dissídio coletivo, um reajuste oficial. Claro que não é tudo aquilo que o trabalhador possa almejar,  mas já dá para negociar.” afirma a especialista.

A postura deste profissional dentro da empresa também vai ser fundamental. O engajamento a preocupação em não apenas fazer um bom trabalho influencia:


“Se der para esperar dois, três, quatro meses para receber o aumento, o trabalhador deve esperar este tempo. Entender como a empresa está neste momento impacta sim esta decisão” completa Thaisa Batista.

Fonte: KAKOI Comunicação. Devo pedir aumento em tempos de crise? Disponivel em:  <http://www.pautas.incorporativa.com.br/a-mostra-release.php?id=31581> Acesso em 14/12/2016. 

 



Redes Sociais